Notícias e Artigos

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Participação da sócia Sabrina Rasga em matéria veiculada pelo Jornal Extra falando sobre os cuidados na composição do valor das cotas condominiais.

Pequenas mudanças na rotina do prédio ajudam a diminuir o valor do condomínio.

Mudanças na rotina do prédio podem contribuir para diminuir o custo do condomínio

Um dos fatores que mais influenciam na hora de escolher um apartamento para comprar é o valor do condomínio. Enquanto o aluguel, em geral, pode ter seu preço negociado junto ao proprietário ou à administradora, esta taxa costuma ser a mesma para todos os moradores. Mas determinadas mudanças na rotina do prédio podem contribuir para diminuir o custo.

As despesas condominiais geralmente são aquelas obrigatórias, como água, luz e manutenção de elevadores. Mas há também as variáveis, aprovadas em assembleia, como o pagamento de funcionários e portaria 24 horas. Segundo a advogada Sabrina Rasga, especialista em Direito Imobiliário, o melhor a fazer para não se surpreender com mudanças repentinas de preço e economizar no fim do mês é verificar a folha de pessoal, evitar o pagamento de horas extras, conscientizar os moradores sobre o uso de água, prevenir vazamentos e realizar manutenção preventiva e vistoria nos sistemas hidráulicos e de gás.

– Assim, caso um problema seja logo identificado, o reparo não demandará tanto dinheiro do condomínio. Se isso não acontecer, pode prejudicar todos com um valor alto da taxa – explica.

A taxa pode ser cobrada de forma fixa ou rateada. Esta é calculada com base nas despesas rotineiras do condomínio, como luz, água, gás, pagamento de funcionários, compra de material de limpeza, custo da portaria, segurança, limpeza e jardinagem, etc. Nesse caso, o valor de todas as despesas é dividido pela quantidade de apartamentos, gerando assim uma taxa mensal aos condôminos.

Já a taxa fixa, segundo a especialista, é aprovada previamente em assembleia, correspondendo a uma média da soma de todas as despesas ordinárias divididas pelo número de apartamentos, sendo possível, ainda, acrescentar as despesas extraordinárias (pinturas, obras, etc.). Nesse contexto, os condôminos têm uma previsibilidade maior, pois pagam um valor fixo mensal, sem surpresas. Em geral, os condomínios têm um fundo de reserva que custeará pequenos reparos, férias dos funcionários e outras eventualidades.

Fonte: https://extra.globo.com/noticias/economia/minha-casa-minhas-duvidas/pequenas-mudancas-na-rotina-do-predio-ajudam-diminuir-valor-do-condominio-21508205.html